A prefeitura alega que cumpre a lei, pois a região é área de manancial. Resta saber se Orlando Morando vai seguir à risca e bater de frente com peixe grande. Além disso, o próprio prefeito tem diversos mercados em área manancial. A lei vai falar pra ele também? Seria uma vingança regionalizada no Pós-Balsa, onde ele ‘perdeu’ as eleições do 2º turno do ano passado? Entenda o caso abaixo:

Na segunda-feira (28) recebemos inúmeras mensagens de moradores da região do Pós-Balsa, em São Bernardo, alegando que a prefeitura lacrou todos os depósitos de construção na região. Conforme apurado pela TV São Bernardo, a prefeitura se respalda na lei 6766/79, que trata sobre a proteção ambiental em áreas mananciais. Fechar os depósitos impediria, então, que as pessoas comprassem materiais como cimento, cal, tijolos, e diversos outros, dificultando a construção de novas casas.

O prefeito que tanto prometeu gerar empregos na campanha eleitoral, agora novamente retira o sustento de inúmeras famílias da região. Não é a primeira vez, quem se lembra dos trabalhadores da Lauro Gomes? O Pós Balsa é uma das regiões que Orlando Morando sofreu derrota no segundo turno disputado contra Alex Manente (PPS). Seria uma vingança contra os moradores locais?

A partir de agora, Orlando Morando tem que ter no mínimo a decência de valer a lei para os ‘peixes grandes’ também. A empresa de tintas Acrilex, na Estrada Galvão Bueno, está construída em área manancial e também teria que ser lacrada conforme a lei 6766/79, já que fabrica produtos tóxicos e que podem contaminar mananciais. Só que mais desemprego iria ocorrer. Além do mais, o prefeito tem seus mercados Morando em áreas mananciais que provavelmente vendem matérias de construção, como pregos, buchas, resistências de chuveiros. A lei, em tese, teria que valer pra ele também. E será que vai?

Até o desfecho dessa história vamos continuar lamentando que mais desempregos foram gerados e que o prefeito segue sem rumo, governando para poucos, enquanto a população está a míngua.